segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

#Dicionários Grátis

-E que incentivo quer dar ao seu filho antes dele subir ao palco? O que lhe quer dizer acerca da voz para ele sentir segurança enquanto estiver a cantar?

"Ora bem, eu queria dizer-lhe para continuar assim, sempre muito muito muito... PERSPICAZ!!!

Já eu, queria implorar ao "Engenheiro" a possibilidade de distribuição grátis de dicionários porta-a-porta, junto com as listas de páginas amarelas. Quem sabe aquando entrega da declaração do IRS?!

"Ora bem, deixe-me conferir... tudo certo; vai ter direito a um brinde. Aqui está o seu dicionário. E como não rasurou o impresso, leva a edição de capa rígida! Ah, espere lá, desses só há um... e estou a guardá-lo para a minha vizinha... mas o outro também é muito bonito, e se tiver cuidado e o colocar na estante sem lhe dar muito uso, não se estraga nada e também faz muito boa figura!"

Afinal, percebo agora que, no nosso país, tudo não passa de um "problemazinho de comunicação", não é Senhor "Engenheiro"? E são tantos os "problemazinhos" que a nossa Comunicação lhe tem dado...

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

#Chumbo Nacional

Nos últimos tempos o nosso país é como um liceu maioritariamente sobrelotado de alunos insurrectos, repetentes, hiperactivos e insubordinados.
No entanto, há sempre os espertos, preocupados em saber, e por isso sentam-se na fila da frente, muito atentos. São aqueles que tentam, a muito custo, ouvir o Professor. São os que querem aprender. Mas, invariavelmente, a meio do período, alguns  desmotivam; entregam-se à inércia e juntam-se aos elementos desestabilizadores. Saltam para a fila de trás, fazem magote na confusão desordenada e desaprendem a gritar sem saber bem porquê. Juntam voz à crítica, pedem o que não querem e o que não sabem se querem - importa fazer barulho.
Inevitavelmente, chega o dia do teste e valem-se das cábulas. Porque não? É válido! Não se vale o "Engenheiro" de informação não formal? Não "escuta" também ele dos parceiros de travessuras? E não foi assim que chegou a Primeiro da classe governamental? Então! É o próprio que nos dá o respectivo exemplo! Copiem crianças! Oiçam do lado, espreitem o vizinho - é assim que se vai longe! Trapaceiem muito, mintam, sejam desonestos com a própria sombra e, talvez, quem sabe um dia, possam decidir da própria vida, quiçá da do vosso país.

Nos corredores desfilam docentes mais e menos competentes, como na tal Assembleia perpassam políticos de lição mais e menos preparada.
E, em dia de reunião intercalar, desfiam o rol de queixas acerca das precárias condições de trabalho. Exigem luxos discretos, porque em gabinetes decrépitos não é possível obter gananciosos resultados.
Mais conforto para estes Senhores, por favor! Eles que dirigem o País de forma tão próspera - bem se vê - precisam de amplas salas e climatizadas, onde o intelecto lhes possa produzir ousadas estratégias.


As pautas são públicas (agora), e em avaliação final, o sistema português classifica-se como antipedagógico e contraproducente. Soluções? Arrumar compêndios e procurar carteiras internacionais.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

#Em Contagem#

CPM22 - Um Minuto Para O Fim Do Mundo

sábado, 6 de fevereiro de 2010

#Para Ti, B

Aguardei-te ansiosa. A Mamã sabia como eu estava feliz com a tua chegada.
Há laços que não se explicam, e tu vais perceber o meu e o da Mamã enquanto cresceres. E vais ter uma amiga assim, de quem nos sentimos muito pertinho, mesmo quando a distância física impede o calor de um abraço. Uma amiga das que sobrevivem à passagem do tempo e das vidas que vamos experimentando ao longo da nossa.
A Mamã estava linda contigo a mexer muito dentro da barriga, e tu és a Bebé mais maravilhosa de todas, com as tuas mãozinhas perfeitas fechadas com força, e a carinha deliciosa de soninho que diz: "Deixem-me agora descansar, está bem?"

Fico embevecida e não me canso de olhar-te... sejas muito bem-vinda B! E que um dia leias o quanto eu já gostava de ti quando só davas pontapés pequeninos na barriga da Mamã, e que nessa altura já não precises destas linhas, e possas senti-lo sempre me deres um abracinho apertado.    

Para ti Mamã, mais uma vez, faltam-me todas as palavras... e fico, novamente, no silêncio de um olhar molhado. O teu Pequenino Milagre é perfeito.
Sei que este não será o último momento de partilha contigo que me fará chorar de alegria, e isso é reconfortante.  

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

#Fat Feelings#

She ate chocolate cake. She hate(s) him.
He doesn't deserve such sweet thoughts.

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

#Women World

Hoje acordei de feição e disposição. Estava sol e quis usar a minha écharpe nova.
E agora, no regresso a casa, porque desastres acontecem e, falando de mim, só acontecem - esqueço-me que nos dias em que utilizo algum ítem novo do meu guarda-roupa, devo manter-me afastada de alimentos líquidos e sólidos; melhor, devo manter-me a milhas de líquidos e sólidos, ponto - não exclusivamente alimentos; como dizia, cheguei a casa e, antes de a colocar no cesto da roupa suja, fui verificar as instruções de lavagem.

Hmm, não se pode lavar na máquina.
Também não dá para lavar à mão...
E... que engraçado, lavagem a seco também não...
Boa!, ainda bem que avisam para não colocar na máquina de secar! Era mesmo isso que eu pensava fazer! Já que não a posso lavar, pensei imediatamente em utilizar a máquina de secar. Era uma coisa muito razoável para se fazer (e adequada), sem dúvida!


Talvez esta écharpe seja descartável, dentro da mesma linha do post anterior, mas estabelecendo um outro paralelismo - usar e deitar fora - sem qualquer tipo de vínculo emocional, até porque... a etiqueta estrangeira assim o exige... (perdoem-me os homens sensíveis).
Não concordo. Vou arriscar lavá-la. Gosto de guardar coisas e pessoas por tempo indeterminado. E mantê-las sempre comigo, pertinho, de forma dedicada e delicada.


NOTA: a partir de agora aplicarei à compra de roupa o mesmo ritual dos laticínios: se nestes me detenho no prazo de validade, nesta atentarei às instruções de lavagem.