sexta-feira, 5 de março de 2010

#MEC


Sempre sonhei ser um MEC de saias, e cada vez que leio uma crónica assim, deste arcaboiço, acho uma injustiça sem tamanho nunca me ter sido dada essa "pen-blessing". Logo eu que era tão assídua às catequeses e aos grupos de jovens voluntariosos. E era das que lia mesmo o catecismo! E pintava, religiosamente - nos dias indicados! - os 40 quadradinhos correspondentes à Quaresma. Muito injusto realmente... sou uma ovelhita esquecida nos confins do rebanho...
 Mas depois..., depois lembro do meu Pai a dizer: "Marquei a crónica do Miguel Esteves Cardoso para ti. Nunca me esqueço do quanto gostas dele. Essa está muito boa. Lê." E então agradeço à Entidade Superior por me ter compensado largamente com este Pai.

3 comentários:

A disse...

bem, aconselho-te a deixares de usar calças de ganga e depois prosseguires a partir daí.

Algoritmo Perfeito disse...

E se forem umas calças de ganga assim muitoooo justinhas, as tais das skinny? Isso é equivalente a saias! E se lhe acrescentarmos jeans? Hoje em dia, "skinny jeans" é sinónimo de saia, não percebes nada de moda! Azinho, Menos "Bola" e "Record" e mais "Elle" e "Vogue", faz favor! Tens q ser mais eclético na leitura :D

Bigger than I am disse...

Gostei da crónica, compreendo a ferida do MEC. Mas acho ridículo o que aconteceu, quanto não seja que a produção de pasta reciclada fica mais cara que a produção de pasta a partir da matéria-prima original, muito mais quando se trata de uma obra, e não de simples jornais ou caixas de cereais!