segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

#Women World

Hoje acordei de feição e disposição. Estava sol e quis usar a minha écharpe nova.
E agora, no regresso a casa, porque desastres acontecem e, falando de mim, só acontecem - esqueço-me que nos dias em que utilizo algum ítem novo do meu guarda-roupa, devo manter-me afastada de alimentos líquidos e sólidos; melhor, devo manter-me a milhas de líquidos e sólidos, ponto - não exclusivamente alimentos; como dizia, cheguei a casa e, antes de a colocar no cesto da roupa suja, fui verificar as instruções de lavagem.

Hmm, não se pode lavar na máquina.
Também não dá para lavar à mão...
E... que engraçado, lavagem a seco também não...
Boa!, ainda bem que avisam para não colocar na máquina de secar! Era mesmo isso que eu pensava fazer! Já que não a posso lavar, pensei imediatamente em utilizar a máquina de secar. Era uma coisa muito razoável para se fazer (e adequada), sem dúvida!


Talvez esta écharpe seja descartável, dentro da mesma linha do post anterior, mas estabelecendo um outro paralelismo - usar e deitar fora - sem qualquer tipo de vínculo emocional, até porque... a etiqueta estrangeira assim o exige... (perdoem-me os homens sensíveis).
Não concordo. Vou arriscar lavá-la. Gosto de guardar coisas e pessoas por tempo indeterminado. E mantê-las sempre comigo, pertinho, de forma dedicada e delicada.


NOTA: a partir de agora aplicarei à compra de roupa o mesmo ritual dos laticínios: se nestes me detenho no prazo de validade, nesta atentarei às instruções de lavagem.

11 comentários:

techexp disse...

"...usar e deitar fora..." - Forte e claro. Não esta sujeito a qualquer tipo de duvidas.
Complicado se este mundo fosse assim, quando desse por isso estava a ser despejado e reencontrado num caixote enorme onde se podia ler "Homens para Reciclar".
Visto que eu, por várias vezes ja fui assediado em locais publicos, pergunto-me se seria 'objecto' de troca varias vezes..sim porque existe sempre a excepção à regra não é verdade?
Espero por isso que o aquilo que disse, não se torne uma realidade ainda mais 'Real' visto que realidade já o é.
*

Algoritmo Perfeito disse...

Aquilo que eu disse, é a minha pesarosa constatação dos dias que correm. Espero, tal como o Techexp, que as mentalidades não se reciclem, e as mulheres continuem a chorar no final dos filmes, acostadas no abraço apertado do mesmo homem que as levará a casa por várias noites consecutivas.
Quanto a ser assediado em locais públicos, se me permite, deixe o seu ego inflar, e depois levo-o junto consigo na busca da princesa que estará no topo da torre do castelo; ser-lhe-à muito útil aquando a escalada de flor na boca ;)
Muito obrigada pelas suas palavras.
A.P.

A disse...

uma vez, na rua disseram-me "toma esta por me teres estragado a roupa!" isto, como já devem ter reparado, deve-se ao facto de eu ser um "solipsista". uma pessoa que acredita que é o único ser real num mundo por ele imaginado.

logo, tudo o que acontece, invariavelmente, é-o assim porque eu o assim imaginei. portanto as pessoas culpam-me amíude por coisas que lhes aconteceram. é claro que algumas destas me dão particular gozo, tipo aquela vez que o pedro abrunhosa caiu no chão, e quando descobriste que o teu cachecol era para usar apenas uma vez (no meu caso várias, porque uma pessoa como eu, basta-lhe imaginar que o resto do mundo não repara que a minha roupa está suja)

ainda que só, divirto-me imenso.

Algoritmo Perfeito disse...

Às vezes também gosto de imaginar que cá vivo sozinha. Apenas eu. Ou melhor, vivo eu e os outros, mas no meu mundo perfeito, da maneira que eu idealizo, embora me culpe a mim e apenas a mim quando nem tudo corre bem. Invarialvelmente, a culpa é mesmo minha ;)
Gosto de lavar a roupa, chama-me maníaca das limpezas, mas apraz-me ser asseada :) Imagino que o teu chefe não aprecie o teu visual "nódoa" e, arrisco que haja algum concurso "underground" na tua empresa para adivinhar aquilo que jantaste durante a semana, com base nas manchas das tuas camisas ;) eh eh eh

A disse...

... quem é que tu conheces aqui do trabalho!?

A disse...

a culpa é tua, apenas porque eu te imaginei assim. lembra-te disso!

a parte dos meus colegas gozarem com a minha falta de higiene é que não sei porque fui imaginar isso. deve ter sido o meu subconsciente, a minha sombra. estúpida sombra...

Algoritmo Perfeito disse...

Agradeço muito por me teres imaginado com regras de higiene. acresce-lhe banho e escovagem dentária. Agradeço que refaças essa projecção e introduzas estas alterações. Podes, por favor, imaginar-me com 1,80cm? :D
Sabes que, em algum livro de psicologia, explica que imaginamos aquilo que realmente queremos que aconteça, ou imaginamos coisa com algum fundo de verdade. Das duas uma: OU EXISTEM MESMO APOSTAS PARA SABER O QUE JANTAS DURANTE A SEMANA ATRAVÉS DAS MANCHAS DA TUA ROUPA, OU TU NO FUNDO QUERES SER A ESTRELA DA COMPANHIA A QUALQUER CUSTO! (essa é a pior maneira... equivale ao Abrunhosa cair em directo só para vender discos....;)

A disse...

desculpa, o 1,80m guardei-o para mim, ainda lhe juntei 2cm só por causa das coisas.

eu quero ser a estrela da companhia... e às vezes arrebolo-me para o chão, tal e qual o abrunhosa. mas sem estilo, sem óculos e sem saber cantar. porque cantar, já temos aqui dois que o fazem... em falseto!

Algoritmo Perfeito disse...

e tocas piano? e falas francês? espera espera! e a pandemia amorosa? a amor exacerbado por tudo e tudo e tudo? aquele que tu próprio descobriste na letra "MOMENTO"? :) aguardo video do "arrebolanço", junto com o das aspas faladas :D

Algoritmo Perfeito disse...

1,74 e nao se fala mais nisso. Pode ser? :) Longos cabelos louros, já agora :D

A disse...

lololol

acho que já toquei guitarra e piano.. e acho que já falei francês. num sentido muito lato das palavras tocar e falar.

quanto ao resto, não faço nada disso! como diria o leibniz és o melhor dos mundos possíveis.